quinta-feira, outubro 20, 2011


Dê uma orquídea de presente e ensine a cuidar da flor


Marcadores:
Existem inúmeras razões para escolher orquídeas como presentes: elas são bonitas, coloridas, perfumadas e duram quase para sempre (se você tiver alguns cuidados básicos com elas). Conheça algumas dicas de cultivo e se familiarize com algumas espécies de orquídea na nossa galeria de fotos. Se você se apaixonar pelo assunto, poderá ler a nossa outra reportagens em que ensinamos a multiplicar os bulbos das orquídeas.

As orquídeas não precisam de muito espaço – o que é uma ótima notícia para quem tem apenas uma pequena varanda. O que a maioria das espécies exige é uma atenção à luminosidade, a umidade do ar e a rega. Como as orquídeas nascem geralmente em troncos de árvores e em cima de pedras, elas não devem ser expostas diretamente a luz do sol. Coloque-as em lugares sombreados. Elas não pedem muita rega, mas precisam estar em espaços úmidos já que sintetizam a umidade do ar. No Brasil, os gêneros de orquídeas mais comuns são as Cattleyas, Oncidiuns e Phaleanopsis. Muitas das orquídeas desses gêneros podem gerar plantas híbridas (mistura de espécies feita em laboratório). De acordo com Júlia Meyer Pflug, orquidófila e responsável pelo Portal da Orquidofilia – espaço no Orquidário Morumby que tem como objetivo o ensinar o cultivo de orquídeas--, as orquídeas híbridas são mais resistentes e fáceis de serem cultivadas. “Em apartamentos, o dono da orquídea deve manter o ambiente com algumas plantas para assegurar a umidade. A lavandeira, por exemplo, é um espaço muito bom para quase todas as espécies”, explica. Júlia, que cultiva orquídeas há nove anos, diz também que decantar a água antes da rega é importante já que esse procedimento permite que o cloro evapore e não prejudique o florescimento da planta. Com esses cuidados, as orquídeas devem florescer uma vez por ano. E você ainda pode multiplicar as suas plantas preferidas fazendo divisão dos bulbos.

Do Himalaia

A Vanda Coerulea é uma espécie natural vinda do Himalaia. Ela tem as raízes suspensas e podem florescer até três vezes ao ano.

Cattleya baiana

A Cattleya é um dos gêneros mais comuns de orquídeas no continente americano. A Cattleya schilleriana, original da Bahia, tem este nome porque foi dada ao cônsul Schiller, que era um grande colecionador de orquídeas, em Hamburgo na Alemanha. Orquídeas desta espécie não precisam de muita rega e devem ser colocadas em ambientes com sombra. A Cattleya Schilleriana está hoje extinta.

As orquídeas híbridas (criadas a partir da união de uma ou mais espécies) são de fácil cultivo. O híbrido Blc. Memória Helen Brown pede luminosidade e água fresca para florescer uma vez ao ano durante 30 dias.

Orquídea de R$ 10 mil

Ela vale R$ 10 mil, mas não cheira nada bem. A planta raríssima, Bulbophyllum Fletcherianum, é originária da Nova Guiné, na Oceania, e possui um odor muito forte que se assemelha ao odor de carne podre. Esta espécie de orquídea cresce em rochas ou em galhos e gosta de ambientes úmidos.

União de três espécies

A espécie híbrida Vulylstekeara surge da união de três espécies: a Cochlioda, a Miltonia e a Odontoglossum. Pintas de vermelho e marrom colorem suas pétalas.

Flor de duas cores

A Cattleya Tenuis é uma espécie de orquídea com duas cores: as pétalas e sépalas são ocre ou verde e o labelo (pétala dorsal) é púrpura. Como a espécie vem do centro da Bahia, ela precisa de pouca rega.

Cheiro de baunilha

A espécie Oncidium Susan Kaufman inova no odor: ela tem uma pequena fragância de baunilha. A espécie proporciona um belo efeito ornamental devido às hastes, de até 50 cm de altura.

Orquídea amazônica

A Cattleya violácea é uma espécie de orquídea que aparece na região Amazônica do Brasil e também na Colômbia, Bolívia, Peru, Equador e na Venezuela. A flor tem uma cor púrpura intensa.

Flor de primavera

Simples de cuidar, a espécie brasileira Rodriguezia Venusta floresce na primavera. Suas flores, de 2,50 cm de diâmetro, têm muito perfume.

Gênero Híbrido

A orquídea do gênero Phalaenopsis possui mais de 50 espécies, entre flores puras e híbridas. Ela fica mais bonita se for mantida em locais com sombras. Além de ser um dos gêneros mais comuns no Brasil, ela também é fácil de cultivo.

Orquídea baiana

Natural dos mangues da Bahia, a Encyclia randii exibe flores rosas ou brancas entre 5 e 6 cm. Floresce na primavera.

Orquídea pintada

A mistura de Cattleya e Laelia resulta na Tropical Pointer, com várias pintas. Fácil de tratar, sua floração ocorre uma vez ao ano por 30 dias.

Com água gelada

De lugares altos e frios, a orquídea Cymbidium deve ser regada com água gelada quando longe de seu habitat para induzir floração.

Espécie da Ásia

Esta espécie híbrida do gênero Phalaenopsis é típica da Ásia e pode florescer duas vezes ao ano até por 90 dias.

Orquídea popular

Oncidium é um dos gêneros mais comuns de orquídeas no Brasil. De simples cultivo, ela precisa de umidade para florescer.

O híbrido Blc. Alma Kee foi criado em um laboratório na Tailândia. Sua floração chega a durar 40 dias.

Vocês gostam de orquídeas? Gostaram do post de hoje?


1 comentários:

BilaCaldas disse... [Responder Comentário]

Que lindas orquídeas! Primeira vez aqui. Gostei e estou seguindo.

Postar um comentário

:a   :b   :c   :d   :e   :f   :g   :h   :i   :j   :k   :l   :m   :n   :o   :p   :q   :r   :s   :t